Arte transforma cemitério em sala de aula

Os estudantes do 1º ano do Ensino Médio foram convidados para uma experiência de aprendizagem um pouco inusitada durante uma aula do componente de Arte. A partir do tema a arte e o espírito, eles visitaram o Cemitério da Santa Casa de Misericórdia para enxergar e entender mais sobre como as manifestações artísticas fúnebres traduzem o vínculo entre o homem e o sagrado, além de identificarem características da  sociedade ao longo da história.
 
Ainda no Colégio, os estudantes e a professora Sônia Braun discutiram como os detalhes em construções de templos, altares, vitrais, mosaicos, jazidos, mausoléus e lápides traduzem elementos da organização social de uma cidade, da ligação entre os mitos e deuses, além da relação entre vida e morte. Depois, para visualizar melhor como a arte fúnebre está conectada com a história da arte e também aos povos, eles visitaram o cemitério.
 
Estudantes estiveram no Cemitério da Santa Casa de Misericórdia
 
O mais antigo cemitério em funcionamento na capital gaúcha, é um verdadeiro museu a céu aberto, repleto de obras funerárias exclusivas e cheias de particularidades que representam mais de um século e meio de história. Nos corredores do local, religiosidade, política, economia, relações humanas se misturam em alegorias e esculturas com elementos das mais variadas influências artísticas. “Esta visita colocou nossos estudantes em contato com uma forma de arte que traduz aspectos multidisciplinares da história da arte e também da nossa como sociedade. A arte fúnebre surpreende pelo conhecimento que carrega, mas também pela sua beleza na concepção e acabamento, além dos mistérios religiosos”, explica a professora Sônia. 
 
Nossos estudantes realizaram o Roteiro Social que apresenta as diferenças e as contradições entre os grupos e classes sociais em um cenário portador de referências e explicações sobre as relações humanas e o funcionamento da sociedade gaúcha. O roteiro inclui visita a túmulos que apresentam desde os primeiros quadros, ricamente adornados, até o Campo Santo, marcado pela simplicidade e total despojamento, situando o cemitério como um local democrático e portador de cidadania.
 
O local é referência em arte funébre e cheio de histórias sobre o Rio Grande do Sul
 
Por ser um local cheio de história, o Cemitério da Santa Casa possui mais quatro roteiros de visitação:
 
Roteiro Político: um olhar e o entendimento sobre as relações de poder no Brasil, especialmente sobre a política gaúcha. Representações das lideranças ao longo dos anos e exemplos tumulares ilustram a configuração do cenário político da cidade e do Estado.
Roteiro Positivista: o Cemitério da Santa Casa é o único da cidade que reúne exemplares de mausoléus e túmulos que expressam na escultura, arquitetura e em epitáfios a presença positivista no RS, eternizando, através da memória, o vigor dessa doutrina na sociedade gaúcha.
Roteiro Cívico Celebrativo: com personagens representativas e de responsabilidade por grande feitos, obras e ações que os destacam no imaginário social. Alguns estão preservados na memória como, marcas da identidade que formou o Rio Grande do Sul e nomes de relevância política e militar da Capital gaúcha e do nosso estado.
Roteiro Religioso: O mistério, a lenda e a tradição foram as primeiras origens do sentimento religioso, que se expressa por um conjunto de pensamentos, atos e sentimentos que estabelecem a relação entre o homem e Deus. O Cemitério da Santa Casa é rico em alegorias e representações religiosas que permitem a compreensão das ideias e concepções de vida da sociedade local e regional.
 
O Cemitério Santa Casa de Misericórdia fica Avenida Professor Oscar Pereira, 423, bairro Azenha. Mais informações sobre visitações no telefone: (51) 3223.2325.
 
Créditos das fotos: Laura Perroni, estudante do 1º ano EM.
 

Comentários (0)

Entre na discussão.

captcha

Mensagens sem e-mail válido ou com expressões ofensivas serão excluídas.