Comunidade Marista do bairro Canudos completa 40 anos

Berço da história do Colégio Marista São Marcelino Champagnat, a comunidade Marista do bairro Canudos completou, em 23/2, 40 anos de fundação. Instigados a atender uma das áreas mais vulneráveis do município, os Irmãos Maristas Antônio Bortolini e Neori Rodrigues da Fonseca decidiram, em 1978, fixar residência na Vila Iguaçu e de lá, “ajudar o povo na sua promoção, de modo que possa ser dono do seu próprio destino” (conforme documento do Projeto Comunitário de Vida, assinado pelos dois Irmãos).

Casa da Comunidade Marista em Canudos

Se instalaram em uma humilde casa para “conhecer o que se passa na vila, dar valor a tudo que as pessoas sentem e fazem, mesmo as coisas mais simples e fazer nossas as suas preocupações”.

Inicialmente, os Irmãos atuavam como incentivadores religiosos, prestando auxílio na formação de lideranças e na criação e manutenção de grupos de famílias, de casais e jovens. Por consequência, esses líderes, com o auxílio dos Irmãos Maristas que ali residiam, começaram a agir em movimentos populares para trazer melhorias ao bairro. Essas lideranças também contribuíam junto às comunidades católicas da Vila Iguaçu (Santa Catarina, Nossa Senhora Aparecida e São Paulo).  

Foi então que, preocupados com o baixo nível de escolaridade dos líderes desta comunidade, se iniciou o “Projeto Champagnat”. Tal atividade consistia em dar aulas de reforço e alfabetização a alunos carentes. Eram aulas gratuitas, que ocorriam no prédio do Colégio Pio XII, no Centro de Novo Hamburgo, e os professores trabalhavam de maneira voluntária. Além disso, a comunidade Marista promovia cursos como corte e costura, marcenaria e artesanato, para qualificar e gerar renda aos moradores do bairro Canudos.

   

Casa que atualmente funciona como telecentro e biblioteca comunitária (abaixo)

Continuando com o “Projeto Champagnat”, em outubro de 1980 os Irmãos iniciaram um grupo de alfabetização de adultos na Vila Iguaçu. As aulas ocorriam no Centro Comunitário do bairro e eram coordenadas pelo Irmão Neori.

Depois de 19 anos e meio de caminhada, os Irmãos partiram então para um novo projeto. Foi no dia 11 de agosto de 1997 que deram início as aulas do então Supletivo Champagnat, hoje Colégio Marista São Marcelino Champagnat, situado no Centro de Novo Hamburgo. Os primeiros alunos eram jovens e adultos em situação de vulnerabilidade social que também assumiam o papel de líderes ligados às comunidades católicas.

Graças ao pioneirismo dos Irmãos Maristas ao se instalarem em um dos locais mais violentos de Novo Hamburgo na época, o bairro Canudos sofreu uma verdadeira transformação social. Até hoje, a presença dos Irmãos é vital e extremamente significativa para os moradores desta comunidade.

Atualmente, a comunidade do bairro Canudos funciona como telecentro, em parceria com a Prefeitura de Novo Hamburgo; abriga uma biblioteca comunitária e oferece aulas de xadrez. Nela residem quatro Irmãos: Ir. Cláudio Rockembach, Ir. Dionísio Balestrin, Ir. Francisco Arnold e Ir. João Costenaro.

Irmão Cláudio Rockembach, que atua na Comunidade de Canudos, e Irmão Carlos Scottá, que atuou na comunidade do bairro e atualmente está na comunidade Marista de Cruzeiro do Sul, Acre. 

Nós, do Colégio Marista São Marcelino Champagnat, muito nos identificamos com a Comunidade Marista de Canudos. Felicitamos os Irmãos que de alguma forma contribuíram e seguem contribuindo na construção dessa belíssima história de inserção e de engajamento, verdadeiramente transformando a história e a vida das pessoas dessa comunidade.

Que Deus continue a abençoar essa nobre missão.

Comentários (0)

Entre na discussão.

captcha

Mensagens sem e-mail válido ou com expressões ofensivas serão excluídas.