Mais educação, menos violência é tema da Jornada Pedagógica

A Jornada Pedagógica 2018/1 reuniu professores, coordenadores e setores administrativos de 14 a 17 de fevereiro. Para iniciar o encontro, o Irmão Deivs Fischer falou sobre Os legados do Capítulo Geral para a missão Marista e o mundo e, a coordenadora de bibliotecas da rede, Patrícia Saldanha, abordou sobre a aquisição de livros, o desenvolvimento de coleções e o espaço da Biblioteca Escolar.
 

Além de planejar o ano letivo, estudar as matrizes curriculares, a temática norteadora da jornada foi da Campanha da Fraternidade deste ano Fraternidade e superação da violência. O Colégio Marista Vettorello convidou gestores da Sede Marista para prestigiar, juntamente com os educadores do colégio, a palestra do professor Dr. Marcos Rolim, que ocorreu na sexta-feira, dia 16. 

Mais educação, menos violência, esse foi o tema que Rolim abordou e apresentou diversos dados de sua pesquisa que mostram, quanto mais escolaridade, menos jovens se envolvem com violência e criminalidade. “As crianças de 10 a 12 anos, da periferia, são excluídas da escola precocemente. Onde há a falha da escola, o crime é bem-sucedido. A escola exclui e o crime acolhe. Essa é a dinâmica”, ressaltou.

O professor afirmou ainda que não é possível discutir a diminuição da violência extrema no Brasil sem abordar a evasão escolar. “A regra não é que esses meninos venham de famílias desonestas. Tudo poderia ter sido diferente para eles se não houvesse aquele momento da exclusão da escola e a aproximação com algum grupo armado na sua comunidade ou região”, aponta Rolim, citando parte do seu estudo com 17 menores infratores da Fundação de Atendimento Sócio-Educativo do Rio Grande do Sul (FASE).

 

Brasil é o terceiro país no mundo com a maior população carcerária, com mais de 726 mil presos, ficando atrás somente dos Estados Unidos, 2,1 milhões, e da China, com 1,6 milhão. Além disso, o Brasil também ocupa a mesma posição quando se refere ao número de presos por 100 mil habitantes: 342.