Ir Albino é Mestre em Educação

 O Irmão Albino Trevisan defendeu sua dissertação no curso de Mestrado em Educação, na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em 6 de agosto, perante uma banca formada pela orientadora, professora doutora Maria Emília Engers, e pelos professores doutores Juán Mosquera e Vera W. Pereira. O resultado foi “aprovação com louvor” – o grau máximo de uma dissertação. A defesa foi assistida por uma platéia composta por Irmãos Maristas e professores do Instituto Marista Graças e de outras escolas da Congregação. 

A dissertação, intitulada “Desenhando, lendo e escrevendo (DELES): uma proposta metodológica de alfabetizar”, possui 201 páginas. O método consiste na utilização de figuras como recursos na construção de frases. Desenhos são combinados, aos poucos, com a inserção de monossílabos que constituam elementos de ligação e possibilitam a formação de idéias dentro de um contexto. O processo vai, gradativamente, sendo assimilado pelos alunos até a eliminação total das figuras e o completo domínio da leitura. Segundo Ir. Albino, geralmente, no final de um ano, as crianças de nível três da Educação Infantil (cinco a seis anos) já estão lendo. “Para elas, a leitura torna-se um passatempo”, afirma o educador marista.

O trabalho, desenvolvido pelo Irmão Albino há 50 anos, foi aplicado pela primeira vez em 1957, no Colégio Marista Rosário, e, de 61 a 68, o laboratório foi a Escola Medianeira (atual Instituto Marista Graças). No período de 63 a 78, foram publicadas duas cartilhas, totalizando 25 edições e uma tiragem de 500 mil exemplares, distribuídos em todo o Brasil.

Com a retomada e o aperfeiçoamento do projeto, em 2005, para realização do mestrado, duas escolas passaram a utilizá-lo: Zé carioca, em Viamão, e Colégio Marista Aparecida, em Bento Gonçalves. Em 2006, foi colocado em prática no Serviço de Apoio Sócio-Educativo (Sase), do Centro Educacional Marista Graças, por meio do Projeto Querência Marista. Neste ano de 2007, o Instituto Marista Graças também adotou o projeto.

Com a dissertação de mestrado, Ir. Albino dá cunho científico ao seu projeto. “Existem muitas teorias que falam sobre alfabetização, porém, estava faltando uma metodologia que auxiliasse os professores a colocá-las em prática. O método DELES tem livre trânsito em todas as teorias, das mais remotas até a modernidade. Pode ser utilizada na alfabetização de crianças desde os quatro anos de idade”, ressalta o mestre. A partir de setembro, a dissertação estará disponível para consulta na Biblioteca da PUCRS.

Comentários (0)

Entre na discussão.

captcha

Mensagens sem e-mail válido ou com expressões ofensivas serão excluídas.