Case "Um currículo que inquieta: boas práticas que geram resultados"

Conheça o case que foi ouro no 8° prêmio inovação em educação, categoria Gestão Pedagógica, do Prêmio do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe/RS).


Diante de um contexto contemporâneo desafiador e uma escola ainda fragmentada, o Colégio Marista Graças, de Viamão, sentiu a necessidade de acolher diferentes saberes e manifestações culturais na perspectiva de um espaço de heterogeneidade e pluralidade. A partir do Planejamento Estratégico 2012-2022, a instituição optou por um reposicionamento com foco na excelência acadêmica e na formação humano-cristã, com uma ampla reestruturação de serviços e atendimento oferecidos.

De um lado, havia a implementação de importantes documentos balizadores, como o Projeto Educativo Marista, as Diretrizes Nacionais da Educação e as Matrizes Curriculares do Brasil Marista; de outro, atendimentos por disciplina ao longo de um ano. Era preciso realinhar teoria e prática. Então, a gestão escolar mobilizou diferentes serviços – direção, pedagógico, pastoral, orientação educacional, comunicação, administrativo – para desenhar um plano de trabalho interdisciplinar, coletivo, dialógico e participativo.

Equipe de educadores do colégio
 

O objetivo do projeto Um currículo que inquieta: boas práticas que geram resultados, é proporcionar um currículo pedagógico-pastoral que promova transformações através de metodologias ativas. Com isso, a necessidade de promover mudanças metodológicas de espaçostempo, avaliação e formação dos sujeitos envolvidos no processo de ensino e aprendizagem; desenvolver inovação nas metodologias de acordo com o contexto local e cultivar e estimular as lideranças na perspectiva de protagonismo infantojuvenil.

Os desafios para a implementação desse plano eram um orçamento enxuto, a exigência cada vez maior das famílias sobre o valor agregado dos processos educacionais e a identidade dos estudantes com o Marista Graças. Era necessário encontrar respostas sólidas para tudo isso.

O Colégio optou por aplicar a nova proposta curricular no Ensino Fundamental II ( do 6º ao 9º ano EF) e no Ensino Médio, num total de 430 estudantes em 13 turmas. Foram envolvidos 20 professores e 12 técnicos administrativos de diversos setores. O trabalho teve início em 2012, com o lançamento do Planejamento Estratégico 2012-2022 e a imersão formativa com os educadores, num total de 880 horas. Em 2013, foi implantada a proposta curricular por área do conhecimento e lançado o Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP), que compreende aulas no turno inverso com professores estagiários, que acompanham as aulas curriculares e oferecem apoio complementar.

Em 2015 e 2016, a Rede Marista seleciona o Marista Graças como escola piloto para implantação das novas Matrizes Curriculares, são publicados artigos feitos por educadores no livro “Vivências Curriculares em Tempo de Mudança” e tem início o trabalho efetivo por área de conhecimento. Essa prática interdisciplinar engloba reuniões e sequências-didáticas, planejamento, avaliações, conselhos e feedbacks para as turmas e para as famílias.

O Colégio passa a fazer um trabalho intensivo com indicadores e metas, desenvolver competências acadêmicas ética-estéticas, políticas e tecnológicas; adotar ferramentas metodológicas com situações-problema reais, promovendo uma imersão na realidade local para além dos muros da escola, e metodologias ativas. Além disso, propõe um trabalho em parceria com Central de Relacionamento, setor que faz a apresentação da escola para novas famílias a fim de alinhar os discursos. Dessa forma, cada família que ingressa no Marista Graças já sabe antecipadamente o nível de exigência e as formas de trabalho adotadas.

As salas de aula ganharam novo layout, sem as tradicionais fileiras, o que favorece o trabalho em grupo. São lançados o Laboratório de Aprendizagem, com aulas interdisciplinares num sábado letivo que retomam os temas abordados no trimestre; o Saiba Mais, oficinas temporárias com temas de interesse cultural dos estudantes, como Youtuber e Cinebate; e as Rodas de Estudo, encontros diversificados para revisão dos conteúdos. O Colégio investe, ainda, na formação de lideranças, integrada com Grêmio Estudantil, Voluntariado, Pastoral Juvenil Marista e Conselho de Líderes, e formação pedagógica-pastoral, direcionada a estudantes, pais e educadores, desde os serviços gerais até a equipe de visitação com novas famílias.

Estudantes do projeto voluntariado
 

As avaliações também mudaram. Há provas por componente curricular diferenciadas, provas por área do conhecimento realizadas de forma interdisciplinar, e acompanhamento personalizado, com pré-conselhos com dinâmicas de grupo com a turma, conselhos de classe com os professores e devolutiva dos conselhos em forma de scrapbooking, vídeos e outras formas criativas. Os canais de comunicação com as famílias foram reorganizados, com maior uso do Moodle, envio de SMS informativas e convites para reuniões diferenciados.

Ao final de cinco anos, foram identificados diversos resultados quantitativos e qualitativos que contemplaram o alto desempenho escolar dos estudantes, sua formação para o protagonismo infantojuvenil, e a confiança das famílias na proposta inovadora oferecida pelo Marista Graças. A fidelização, ao final do ano de 2016, foi de 90%, uma alta de 35% em comparação ao ano anterior. Já na captação também teve um aumento: 7% a mais que no ano anterior.

O Fale Conosco, canal de comunicação entre o colégio e a comunidade escolar, teve uma redução significativa de procura por motivos pedagógicos, assim como as transferências por razões pedagógicas.

Foram observados melhor desempenho dos alunos no Sistema Marista de Avaliação (SIMA), que gera relatórios anuais de resultados de qualidade educacional, e crescimento gradativo dos estudantes no Enem em todas as áreas do conhecimento, especialmente em Humanas e Redação. Na pesquisa de satisfação aplicada junto aos estudantes concluintes do Ensino Médio, houve melhora significativa em diversos aspectos: 90,4% dos estudantes avaliarem como bom ou muito bom o Colégio, de forma geral e 98,1% se mostraram satisfeitos com seus professores.

A fidelização dos educadores foi outro resultado importante: em quatro anos, aumentou em mais de 80%. Durante o mesmo período, houve uma diminuição considerável no número de solicitações de revisão de nota, o que representa uma maior organização e credibilidade da escola perante pais e estudantes. Houve ainda diminuição das situações registradas pela coordenação de turno, aumento da participação dos estudantes em espaços de formação e aumento da participação dos estudantes em espaços de liderança, como o voluntariado, grêmio estudantil e pastoral juvenil marista (PJM).

A aproximação, o planejamento e a sistematização conjunta de ações desenvolvidas na rotina da escola concretizaram a teoria na prática. Hoje, percebe-se que a integração dos processos é um caminho sem volta, que tem promovido crescimento e atribuído qualidade a ações que antes esbarravam em diversos problemas de organização. A partir dessa compreensão, destacou-se a importância do coletivo, do participativo e do diálogo entre os saberes de diferentes áreas, atuando numa perspectiva interdisciplinar sistêmica e estratégica, também entre os serviços da escola, ultrapassando as paredes da sala de aula.

Comentários (0)

Entre na discussão.

captcha

Mensagens sem e-mail válido ou com expressões ofensivas serão excluídas.