Dicas de leitura do novo Sistema Marista de Educação

Com a implantação do Sistema Marista de Educação, estudantes do 1º ano do Ensino Médio iniciaram o ano letivo com novo e exclusivo material didádico, concebido com o objetivo de efetivar uma solução de ensino alinhada com os preceitos das Matrizes Curriculares de Educação Básica do Brasil Marista e inseridas no contexto do Projeto Educativo Marista.

O Sistema  será implantado de forma gradual para o Ensino Médio na Rede Marista e traz uma proposta de trabalho inovadora, interligando valores, competências, conteúdos e tornando a aprendizagem interdisciplinar. Além de materiais físicos de estudo, também é oferecida uma plataforma digital que contempla de forma interativa o que foi estudado, intensificando a preparação para o Enem e vestibulares.

Cada um dos 11 componentes curriculares que fazem parte dos módulos do SME (Sistema Marista de Educação) traz indicações de fontes complementares de estudo e aprendizagem.

A Biblioteca Irmão Antonio de David dispõe de livros indicados:

  • Senhor das moscas - William Golding
  • Desenho - Ambientes e Costumes - Sarah Simblet  
  • O diário de Zlata - Zlatá Filipovic
  • Vozes roubadas - Zlatá Filipovic
  • A dança do Universo: dos mitos da criação ao Big Bang - Marcelo Gleiser
  • As cidades invisíveis - Ítalo Calvino
  • Longitude: a verdadeira história do gênio solitário que resolveu o maior problema científico do século XVIII - Dava Sobel
  • 50 Contos de Machado de Assis - John Gledson
  • Tudo que é sólido desmancha no ar - A aventura da modernidade - Marshall Berman
  • A história da humanidade contada pelo vírus - Stefan Cunha Ujvari
  • História da matemática - Edgard Blücher Ltda - Carlk B. Boyer
  • O que é a Filosofia - Gilles Deleuze e Félix Guattari
  • Física: Newton para o Ensino Médio - Márcio Barreto
  • O homem que calculava - Malba Tahan
  • Cartas de amor aos mortos - Ava Dellaira
  • Newton e a gravidade em 90 minutos - Paul Strathern
  • História da matemática: uma visão crítica, desfazendo mitos e lendas - Tatiana Roque
  • Galileu e o sistema solar em 90 minutos - Paul Strathern

Dica:

Admirável mundo novo
Aldous Huxley
Biblioteca azul

Uma sociedade inteiramente organizada segundo princípios científicos, na qual a mera menção das antiquadas palavras “pai” e “mãe” produzem repugnância. Um mundo de pessoas programadas em laboratório, e adestradas para cumprir seu papel numa sociedade de castas biologicamente definidas já no nascimento. Um mundo no qual a literatura, a música e o cinema só têm a função de solidificar o espírito de conformismo. Um universo que louva o avanço da técnica, a linha de montagem, a produção em série, a uniformidade, e que idolatra Henry Ford. Essa é a visão desenvolvida no clarividente romance distópico de Aldous Huxley, que ao lado de 1984, de George Orwell, constituem os exemplos mais marcantes, na esfera literária, da tematização de estados autoritários. Se o livro de Orwell criticava acidamente os governos totalitários de esquerda e de direita, o terror do stalinismo e a barbárie do nazifascismo, em Huxley o objeto é a sociedade capitalista, industrial e tecnológica, em que a racionalidade se tornou a nova religião, em que a ciência é o novo ídolo, um mundo no qual a experiência do sujeito não parece mais fazer nenhum sentido, e no qual a obra de Shakespeare adquire tons revolucionários. Entretanto, o moderno clássico de Huxley não é um mero exercício de futurismo ou de ficção científica. Trata-se, o que é mais grave, de um olhar agudo acerca das potencialidades autoritárias do próprio mundo em que vivemos.


 

Comentários (0)

Entre na discussão.

captcha

Mensagens sem e-mail válido ou com expressões ofensivas serão excluídas.