Marista Irmão Jaime reinicia Projeto Sexualidade

Na manhã de quarta-feira, 3/5, o Colégio Marista Irmão Jaime Biazus em parceria com o Posto de Saúde da Família Timbaúva, iniciou os encontros do Projeto Sexualidade. A Enfermeira do Posto, Paula Cantarelli de Sá, as estagiárias de Enfermagem, Laísa Matzembacher Soares e Bruna Valcarenghi Rabaioli (Acadêmicas do 9º semestre de Enfermagem/PUCRS), juntamente com a Agente Comunitária em Saúde, Paula Elisangela Augusto dos Santos, puderam conversar com os estudantes e esclarecer diversas dúvidas.

A Assistente Social do Marista Irmão Jaime, Karen Kingeski, conta que o projeto iniciou após uma análise sobre o déficit de informações, por parte dos estudantes, acerca dos diversos assuntos sobre a sexualidade. “Em 2012, quando iniciamos o projeto, tínhamos em torno de 9 meninas grávidas. Observamos a gravidez na adolescência e então procuramos fazer uma parceria com o posto de saúde, e assim criar um projeto que contemplasse a promoção de saúde, prevenção de doenças e agravos. Planejamos em 2012 e começamos o primeiro projeto em 2013. O índice de gravidez nas adolescentes começou a diminuir aqui no Colégio e ano passado (2016) tivemos uma estudante grávida”, explica Karen.

Karen conta ainda que um dos grandes benefícios que o projeto tem trazido à comunidade é levar um maior em relação às Doenças Sexualmente Transmissíveis - DSTs, e a importância do uso de camisinha. “Os estudantes possuem um pouco de vergonha inicialmente, mas depois se soltam e ficam mais à vontade para conversar com as agentes. Foi criado um grupo no facebook para os estudantes e a comunidade em geral para uma troca de informações”, completa a Assistente Social.

De acordo com a Agente Comunitária, Paula Elisangela, o projeto sexualidade é uma forma do posto de saúde ter um contato maior com os jovens da comunidade. “É uma forma de acesso do jovem à Unidade de Saúde, é uma busca da prevenção de doenças e de planejamento familiar, já que os índices de doenças sexualmente transmissíveis e de gravidez aqui da nossa comunidade está muito alto. Então para nós, cada jovem que nos procura, buscando prevenção, é uma grande vitória”, se alegra a agente. O encontro teve uma integração muito grande com os estudantes, vemos que eles querem saber e se informar melhor, se cuidar melhor”.

A estudante da turma 212, Letícia Colares Reis, destaca a importância e a seriedade que os colegas encararam o projeto. “Eu achei muito interessante, porque havia uns colegas que na sala de aula geralmente fazem brincadeiras de mal gosto com conotação sexual e que na hora encararam com seriedade o projeto”, relara Letícia. “O projeto vai ser muito importante por oportunizar um momento de esclarecimento de dúvidas. O que eu achei legal é que o atendimento é bem íntimo, eles não vão expor nada e descobri que posso ir sozinha, sem os pais, que o assunto tratado lá ficará em sigilo”, explica a estudante.

O estudante Edi Lucas Ribeiro Ribeiro, também da turma 212, ressalta que um dos esclarecimentos que teve é de que o atendimento é pessoal e totalmente sigiloso. “Achei legal que a nossa privacidade será preservada. As agentes do posto disseram que podemos ir na unidade de saúde esclarecer dúvidas e que elas estarão lá para nos receber e conversar com a gente. E que tudo ficará em sigilo. É importante ter esse espaço para esclarecimento”, completa o jovem.

Comentários (0)

Entre na discussão.

captcha

Mensagens sem e-mail válido ou com expressões ofensivas serão excluídas.