Turmas do 8º ano viajam no tempo em visita a Paracatu

As viagens pedagógicas proporcionam aprendizados na prática, para além da sala de aula, com vivências que marcam a vida dos estudantes. No final de setembro, com as turmas do 8º ano EF, não foi diferente. Os estudantes embarcaram para Paracatu, em Minas Gerais, com os professores Lídice Martins, Karla Tavares e José João Magalhoes, que ministram os Componentes Curriculares História, Produção de Texto e Geografia.


Grupo da Viagem Pedagógica do 8º ano

A cidade considerada Patrimônio Nacional, tombada pelo IPHAN, fica a pouco mais de três horas de Brasília. Os jovens chegaram ao local na manhã do dia 29/9, com a primeira parada no Centro Histórico, onde conheceram igrejas, prédios, casas e monumentos antigos. Visitaram também a Casa de Cultura, o Arquivo Público e a Academia de Letras, sempre contando com as intervenções e explicações dos professores e dos guias turísticos. Ampliando os conhecimentos, realizaram a visita ao Instituto Movimento Verde (Mover), projeto idealizado por jovens que promove a conscientização ecológica, defende a preservação do cerrado e discute políticas para o meio ambiente urbano.

O estudante Tiago Pereira destacou o que mais gostou: “Foi bem interessante! Visitamos algumas igrejas e fomos à Casa Cultural, que explica a história da cidade. O Mover foi bem legal, pois aprendemos sobre reciclagem e aproveitamento do lixo. Mas o que eu mais gostei foi a visita à comunidade quilombola.”


Lazer e contato com a natureza

A Comunidade Quilombola de São Domingos é formada por, aproximadamente, 69 famílias. O grupo visitou os moradores e teve uma aula sobre história, cultura e costumes. Aos 105 anos de idade, o senhor Aureliano Lopes dos Reis, com a ajuda da filha, cantou e encantou com suas histórias. Ele falou sobre a amizade com o ex-presidente Juscelino Kubitschek e das viagens, algumas delas feitas a pé, que duravam seis dias, para trabalhar na construção de Brasília.  


Moradores da comunidade receberam os estudantes de braços abertos

Além de muito conhecimento, os jovens tiveram atividades de integração, lazer, esportes e uma festa na piscina do hotel. Para a Sofia de Barros, os momentos foram muito especiais. “A cidade é bem bonita. Gostei muito da estrutura das casas e das ruas, pois lembram o passado. Foi uma viagem bem legal, todas as turmas se juntaram, isso fez com que a gente criasse laços e fizesse novos amigos. Além de nos divertirmos, aprendemos muita coisa!”, finaliza.

Achados literários de Paracatu

Proposto pela professora Karla Tavares, de Produção Textual, o trabalho Achados Literários de Paracatu envolveu os estudantes em momentos de reflexão, observação e poesia, utilizando epigramas, uma composição poética breve que expressa um único pensamento principal de forma criativa. A epigrama é uma forma de poesia que se caracteriza por sua pequena dimensão e concisão.


Algumas das produções dos estudantes

A partir de frases ouvidas e lidas durante a viagem, os jovens escreveram suas epigramas e as fotografam, tendo Paracatu como cenário. O resultado pode ser conferido no perfil do Instagram: instagram.com/literandocom8ano