Ex-aluna do Marista Medianeira é aprovada em vestibulares de Medicina

Contando com 4 aprovações em Medicina em universidades do sul do país, a ex-aluna do Marista Medianeira, Raíssa Weippert Scalabrin, em entrevista a Assessoria de Comunicação e Marketing do Colégio, conta como foi seu processo de estudo, quais seus desafios e que objetivos ainda quer alcançar.

  Assessoria: Em quais universidades você foi aprovada?

Raíssa: Passei nos vestibulares da UNIFRA em Santa Maria, URI em Erechim, UNIVATES em Lajeado e FEEVALE em Novo Hamburgo, todos para Medicina. Porém, não pretendo cursar ainda, pois escolhi tentar entrar em uma universidade federal.

  Assessoria: Como foi sua preparação (rotina de estudos) para as provas de vestibular, durante e após o Ensino Médio?

Raíssa: Durante o Ensino Médio eu tinha aula todas as manhãs e na terça-feira de tarde, e era assídua. Nas outras tardes, eu fazia resumos dos conteúdos baseada nos livros didáticos e cumpria com as exigências da sala de aula, como trabalhos e deveres de casa. Depois do Ensino Médio, fiz curso pré-vestibular, com aula todas as manhãs e tardes. No período da noite, eu fazia mapas mentais do conteúdo, assim como questões de vestibulares anteriores, ENEM e simulados. 

  • Assessoria: Por que Medicina? Em algum momento, você pensou em outra opção de curso?

Raíssa: Eu sempre pensei em algo ligado à saúde e, embora tenha procurado saber as funções de outras profissões nessa área, acabei me identificando mais com a Medicina.

  • Assessoria: De que forma o ensino que você recebeu no Marista Medianeira auxiliou nas suas aprovações?

Raíssa: O Marista Medianeira me auxiliou com uma boa base teórica, que eu carreguei comigo em todas as etapas do meu estudo. Acredito ter concluído o Ensino Médio com bastante conhecimento, além do auxílio na formação pessoal, que me ajudou a escolher o curso e a persistir no meu sonho! 

  • Assessoria: Como foi o apoio de sua família em relação a sua escolha?

Raíssa: Minha família sempre me apoiou, me deixou decidir qual curso queria e, depois da decisão, fizeram tudo para me manter no caminho. A pressão de um vestibulando pode chegar ao extremo e o apoio dos familiares é pilar muito importante para conseguir manter o foco e a determinação, mesmo com todas as mudanças que a vida de um estudante traz, como morar sozinho, por exemplo.  

  • Assessoria: Quais são seus objetivos profissionais e de vida para o futuro?

Raíssa: Meus objetivos são, no momento, continuar estudando para ingressar em uma universidade federal. Quando eu estiver na faculdade, terei mais acesso às minhas opções, porém, no momento, penso em seguir carreira em algo relacionado à medicina de urgência e emergência. 

Comentários (0)

Entre na discussão.

captcha

Mensagens sem e-mail válido ou com expressões ofensivas serão excluídas.