Estudantes conquistam aprovações em universidades federais

Além das aprovações em diversos vestibulares de instituições privadas, conquistadas pelos estudantes do 3º ano do Ensino Médio em 2017, o Marista Medianeira também já conta com aprovados em universidades federais do sul do país. Confira quem são eles:

  • Ângela Bigolin: Farmácia - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) - 2018/1
  • Guilherme Cervi Paraboni - Agronomia - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Universidade Federal do Paraná (UFPR) - 2018/1
  • Guilherme Brancher - Engenharia Mecânica - Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e IFRS - Câmpus Erechim - 2018/1
  • Marina Gonçalves - Pedagogia - Universidade Federal Fronteira Sul (UFFS) - 2018/1

Para o estudante Guilherme Cervi Paraboni, aprovado em três universidades federais e em uma particular no curso de Agronomia, sua formação desde a Educação Infantil até a conclusão do Ensino Médio no Marista Medianeira fizeram a diferença. "Me orgulho muito do Colégio, por ter ajudado a me tornar quem sou hoje. Uma instituição onde me sentia bem em todos os sentidos, educação, esporte, lazer, companheirismo e amizade."

Sobre sua rotina de estudos, o estudante conta que desde que entrou no Ensino Médio, aprendeu a separar os estudos e o lazer. "Já no 1º ano comecei a fazer vestibulares para ter uma noção de como era. Quando entrei no 3º ano, desde o início das aulas, em média dedicava duas horas de estudo em casa, com foco para o Enem e vestibulares. Também sempre tive muito apoio e incentivo de minha mãe, amor e carinho de meus pais e minha família, o que foi fundamental para as minhas aprovações".

A estudante Ângela Bigolin, aprovada em Farmácia pela UFSC, e também em Medicina, pela Universidade Comunitária Regional de Chapecó (Unochapecó), e Odontologia, pela URI Campus Erechim, acredita que o principal fator que a ajudou a conseguir bons resultados foi ter dado o seu melhor nos estudos. "Como eu realizei o Ensino Médio em uma cidade diferente da minha, eu não tinha horários definidos e nem uma rotina fixa de estudo, porém todos os dias eu estudava e o tempo que eu reservava, em geral 3 horas, era de total dedicação. Conhecendo como era minha maneira de aprender, fiz muitos resumos bem explicativos e questões de vestibular. Sempre me preocupei com problemas sociais, os quais o Colégio muitas vezes debatia, o que me ajudou muito na redação." Além das aprovações, a estudante tirou 900 na redação do último Enem.

Para os estudantes que estão no período de estudos para o vestibular, Ângela deixa um recado: "No Ensino Médio sempre temos muitas indecisões, mas a todo momento eu tive muito claro para mim mesma que não importava qual caminho eu iria escolher, eu iria trilhá-lo com excelência, dando o meu máximo. E é o que eu vou continuar fazendo nessa nova etapa em busca da aprovação em Medicina em uma faculdade federal. Minha dica é: sempre faça o seu melhor e lembre-se que todo o esforço é um dia recompensado."

Estudantes do Marista Medianeira aprovados em universidades federais:

Comentários (0)

Entre na discussão.

captcha

Mensagens sem e-mail válido ou com expressões ofensivas serão excluídas.