O percurso dos estudantes brasileiros no Canadá

Estudar fora do país é um grande desafio para os estudantes brasileiros, mas o percurso pode ser simplificado ao longo do caminho. É o que acredita o diretor de estudos online da Columbia International College (CIC), Ron Rambarran, que até 2016 atuava na linha de frente da maior escola de Ensino Médio do Canadá.


Ron Rambarran acolheu as famílias e estudantes na reunião pré-embarque

Parceira de nossos Colégios e Unidades Sociais há oito anos no Intercâmbio Marista: novas culturas, novos saberes, a escola já recebeu grande parte dos cerca de mil estudantes maristas que participaram do projeto. Na última reunião pré-embarque para o Canadá, realizada em junho, o executivo esteve presente para acolher as famílias e estudantes e aproveitou para expor suas ideias sobre a relação de longa data. Confira a seguir:

 

Equipe editorial: Quantos estudantes brasileiros estudam na CIC atualmente?

RR: Aproximadamente 350, incluindo o programa de verão e os estudos regulares.

Equipe editorial: O que os brasileiros têm de especial em relação a outras culturas que frequentam a escola?

RR: Para mim eles são muito especiais, pois são muito fáceis de lidar e adoram conhecer pessoas e fazer novos amigos. Elas trazem um estilo de vida único, uma energia diferente para a escola que contagia todos que estão a volta.

Equipe editorial: Quais os principais benefícios para esses estudantes que decidem estudar regularmente no exterior?

RR: Estar exposto a um sistema diferente de ensino e um estilo novo de estudo é muito positivo. Você acaba se deparando com inúmeros jeitos de aprender que não costuma praticar. É um novo jeito com a Matemática, outro completamente diferente de estudar Ciências. E durante esse processo, há o desafio de pensar em inglês.

Além disso tudo, há um grande sentido por trás da experiência de estar aqui e ser responsável por si mesmo, crescer socialmente e emocionalmente enquanto pessoa. Quando eles estão aqui, há todo o aprendizado de desenvolvimento pessoal, de tomada de decisões, especialmente quando eles chegam à universidade. E embora seja um percurso individual, nós procuramos prepará-los e acompanhá-los em todas essas etapas, não só no aspecto acadêmico.

Equipe editorial: O que o Canadá pode oferecer aos estudantes de outros países?

RR: A primeira coisa é a segurança do país e nós sabemos que isso é uma questão de extrema relevância em tempos atuais. Você pode andar tranquilo pelas ruas. Se você esquecer seu celular no ônibus, há uma grande probabilidade de o levarem até você no dia seguinte. O sistema de saúde é ótimo, o que é também é tranquilizador. E pode parecer engraçado dizer isso, mas as pessoas são geralmente muito felizes no Canadá, talvez pela quantidade reduzida de preocupações que acabam tendo. Viver dessa forma em um ambiente acolhedor aumenta as suas chances de ser bem sucedido.

Do ponto de vista acadêmico, especialmente para aqueles que querem desenvolver a Língua Inglesa, o Canadá é globalmente conhecido por ter um inglês “puro”, especialmente se compararmos com o britânico ou norte-americano. Nós temos esse sotaque limpo já amplamente reconhecido que facilita o estudo e aprendizado da língua.

Equipe editorial: Fale um pouco do percurso de aprendizagem do estudante que chega até a CIC, a partir do programa de verão, que é oferecido no Intercâmbio Marista.

RR: O ponto de partida é geralmente o programa de verão, que é construído especialmente para aliar diversão, imersão cultural e estudo ao longo de três semanas. Os estudantes visitam lugares como Toronto, Niágara Falls, Quebec, Montreal, Bark Lake e outros durante uma época do ano que é muito agradável no país. Esse projeto é reconhecido por abrir a mente dos estudantes para as possibilidades que eles têm enquanto projeto de vida, já que conhecem pessoas do mundo inteiro. É o momento de pensar consigo mesmo: há um grande mundo lá fora e eu posso fazer parte dele.

Os estudantes que permanecem conosco cursam o chamado High School (Ensino Médio), que os prepara para ingressar em universidades, se assim desejarem. Eles estudam durante cinco ou seis meses e quando concluem as etapas, saem com um diploma de Ensino Médio canadense válido para todas as nossas universidades do mundo. Muitos acabam optando pelas canadenses, pois elas são definitivamente multiculturais, têm um custo bem abaixo do praticado nos Estados Unidos ou Europa e são reconhecidas globalmente pela excelência acadêmica.

 

Primeiro grupo já está na Inglaterra

 


Grupo embarcou no dia 5/7 para a Inglaterra

O grupo de 22 estudantes que embarcou para a Inglaterra já teve as primeiras experiências no país. Acompanhados dos líderes maristas e da empresa Egali, parceira no projeto, os intercambistas foram acolhidos no complexo da Universidade de Reading, onde terão as aulas e atividades do programa de verão.

Nesta terça-feira, 10/7, é a vez dos 145 estudantes que irão para o Canadá iniciarem o embarque.