Dicas de leitura sobre empoderamento feminino

Entre as atrações do primeiro dia da 31ª Feira do Livro do Colégio Marista Roque, esteve a reflexão da mestre em Filosofia e doutoranda em Letras pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Mônica Saldanha Dalcol, sobre o tema Literatura e Empoderamento Feminino, com os estudantes do Ensino Médio. Ela fez um resgate histórico sobre as lutas e conquistas femininas, como o direito ao voto no Brasil, em 1932, o reconhecimento dentro da Academia Brasileira de Letras (ABL), com Rachel de Queiroz, em 1997, e as que ainda estão em curso, como a candidatura da escritora, Conceição Evaristo, à uma cadeira na ABL, que pode ser a primeira mulher negra membro da instituição. 
 
Mônica ressaltou a importância da luta feminina na conquista de direitos
 
Segundo Mônica, o objetivo de promover educação, capacitação e desenvolvimento profissional para as mulheres, além da igualdade de gênero através de iniciativas voltadas à comunidade e ao ativismo social, previsto pela Organização das Nações Unidas (ONU), esbarra nos altos índices de violência contra a mulher no Brasil, considerado o país com a 5ª maior taxa de feminicídio, ou seja, crime baseado no gênero. Ela ressalta que a sociedade ainda tem muito a avançar no debate da garantia de direito das mulheres. O bate-papo encerrou com questionamentos dos estudantes sobre o assunto.
 
Banco de conteúdo
 
Quer saber mais sobre o tema Empoderamento Feminino ou apreciar obras literárias de escritoras brasileiras? Reunimos aqui algumas dicas de leitura da professora Mônica. Algumas das obras citadas podem ser encontradas na Biblioteca do Colégio, confira as opções do acervo e sugira novos títulos, caso necessário.
 
 
 
Úrsula (1859), de Maria Firmina dos Reis: primeiro romance abolicionista brasileiro, descoberto somente em 1962, em um sebo, por Horácio Almeida
 
 
 
 
 
 
 
Quarto de despejo (século 20), de Maria Carolina de Jesus 
 
 
 
 
 
 
 
 
Referências atuais
 
 
Outros Jeitos de usar a boca (2014), de Rupi Kaur
 
 
 
 
 
 
 
 
Tudo nela brilha e queima, de Ryane Leão
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Como ser mulher e Do que uma garota é feita, de Caitlin Moran
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O corpo em que nasci, de Guadalupe Nettel
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Eu sou Malala, de Christina Lamb
 
 
 
 
 

Comentários (0)

Entre na discussão.

captcha

Mensagens sem e-mail válido ou com expressões ofensivas serão excluídas.