Estudantes compõem suas árvores genealógicas

Para compreender a formação étnica da população do Rio Grande do Sul (RS) e a contribuição dos povos para o desenvolvimento do Estado, os estudantes das turmas 141 e 142 do Colégio Marista Roque traçaram um estudo sobre as origens de suas famílias. A pesquisa foi apresentada à comunidade educativa em forma de árvores genealógicas feitas com diversas materialidades. 
 
 
O trabalho, que integra o projeto Etnias Colonizadoras do RS, teve início com uma pesquisa sobre as etnias alemã, italiana, polonesa, judia e japonesa. Divididos em grupos, os estudantes apresentaram as características de cada uma e trouxeram exemplos práticos, como vestimentas e pratos típicos da culinária. Baseados no estudo, os estudantes contaram então com o auxílio das famílias para identificar as suas origens. 
 
Árvores foram expostas nos corredores para apreciação
 
O projeto contemplou ainda bate-papos com representantes de diferentes etnias como Rodrigo Baracy, descendente de índios, representantes da Coordenadoria de Políticas  Públicas de Promoção de Igualdade Racial (Comppir), e de duas avós, Ione Sanmartin e Lucila Schumacher.
 
Durante o projeto foram apresentados os aspectos das diversas etnias, como os motivos que as levaram migrar para o RS e os objetivos dos imigrantes no novo continente, na busca de melhores condições de vida e novas oportunidades.

Comentários (0)

Entre na discussão.

captcha

Mensagens sem e-mail válido ou com expressões ofensivas serão excluídas.