Afeto que constrói significados

Vogais, consoantes, sílabas e palavras têm seu papel reduzido quando o assunto é alfabetização (codificar letras e números) e letramento (interagir socialmente a partir da leitura e da escrita) nos primeiros anos de vida das crianças. Por maior que seja a ansiedade de muitos adultos e das próprias crianças, em determinados momentos, o processo efetivo de ler e escrever requer etapas que precisam ser respeitadas, sobretudo na primeira fase que compreende a Educação Básica: a Educação Infantil.
 
Dos 2 aos 5 anos, as crianças vivenciam um período natural de reconhecimento de signos que é potencializado pelo auge da sua capacidade de assimilação. Conforme explica a supervisora pedagógica dos Colégios da Rede Marista Loide Pereira Trois, durante esse estágio, a criança inicia, ainda que inconsciente-mente, a construção de seu repertório de significados, pois está buscando compreender a natureza da linguagem que está em sua volta. “Canções, trava-línguas, adivinhas e poemas, por exemplo, são gêneros textuais adequados para o desenvolvimento da capacidade simbólica das crianças, pois comunicam e decodificam mensagens a elas de forma lúdica”, enfatiza. 
 
Ainda que o exercício livre da escrita seja aperfeiçoado no começo do Ensino Fundamental, é durante a Educação Infantil que o papel de um elemento específico se destaca: o afeto. Seja na interpretação de uma música ou na contação lúdica de histórias, alimentar a imaginação das crianças acelera o processo de associação e significação, pois transforma o aprendizado em algo prazeroso. É nessa hora que os educadores e até mesmo os pais são parceiros ideais. “Transformar o desenho e a leitura em hábitos entre pais e filhos, por exemplo, é uma forma de desenvolver a consciência pela busca do conhecimento, da reflexão e da argumentação. Dessa forma, o estudante aprende a se posicionar e foge da superficialidade de uma alfabetização mecânica, que limita sua desenvoltura interpretativa”, esclarece Loide.
 
No Marista Rosário, o processo de alfabetização e letramento é desenvolvido desde o nível 1, estimulando a expressão corporal e a comunicação falada, com foco nas diversas formas de linguagem utilizadas pelas crianças para interagir com o meio e com os colegas. Tais linguagens podem ser a musical, a visual – com o desenho – e a gráfica – com a leitura e a escrita. Outro fator significativo nessa faixa etária é que as estratégias de aprendizagem precisam ser relevantes afetivamente. Entre os exemplos, estão atividades como: a roda de leitura colaborativa, a confecção de livros da turma e a execução de receitas de culinária. Nessa última, os adultos podem escrever, junto com as crianças, a lista de ingredientes, exercitando, assim, a escrita.
 
 
Para interagir com seu filho!
•  Faça uma leitura diária.
•  Incentive-o a desenhar com você.
•  Cuide do repertório (boas referências e espaço adequado).
•  Interprete os personagens que ele gosta.
•  Incentive suas descobertas.

Comentários (0)

Entre na discussão.

captcha

Mensagens sem e-mail válido ou com expressões ofensivas serão excluídas.