Educadores seguem para voluntariado na Amazônia

Estar disposto a aprender sempre, compartilhando os conhecimentos adquiridos com os anos de atuação profissional, dedicados à educação e recebendo novas informações a partir da interação com culturas, ambientes e histórias de vida diferentes das suas. Assim, definem sua missão de voluntariado marista, a educadora Suzana Giacomelli Ferrari e seu marido, o professor de história, Milton Máximo Ferrari.

A dupla, parte na próxima quinta-feira, 18/1, integrando um grupo de nove pessoas com diferentes formações profissionais para uma missão na cidade de Lábrea, no estado do Amazonas. Durante 20 dias, os voluntários desenvolverão diversas atividades em comunidades atendidas por ações maristas na Amazônia.


Suzana e Milton viajam nesta quinta-feira com destino ao voluntariado marista

Desejo de atuar como voluntária

Suzana é pedagoga e atuou como educadora durante 25 anos, sendo 10 dedicados à Educação Infantil no Marista Santa Maria. Desde cedo, vivenciou exemplos de solidariedade em casa, onde a mãe auxiliava instituições sociais da cidade. Em sua vida profissional, sempre buscou exercer a solidariedade através de projetos de apoio a comunidades em situação de vulnerabilidade. Em 2015, estando próximo da aposentadoria como educadora, resolveu inscrever-se no Programa Internacional de Voluntariado da Rede Marista, passando por entrevistas e envio de documentos para habilitar-se ao trabalho nas missões pelo mundo. Em 2016, surgiu a oportunidade de preparar-se para o início de um trabalho fora do país, contudo havia passado por um problema de saúde, onde rompeu os ligamentos do joelho e precisou de tratamento médico, adiando seu desejo de partir para o desafio de um trabalho voluntário no exterior.

Neste período de recuperação, surgiu a oportunidade de participar da Peregrinação Caminhos de Champagnat, onde educadores maristas são convidados a conhecer a vida e a obra de São Marcelinho Champagnat nos lugares onde ele viveu e evangelizou. O convite foi aceito e junto com seu companheiro, Milton, emocionaram-se com as belas paisagens da França e com os lugares onde o fundador do Instituto Marista iniciou o legado hoje espalhado por todo o mundo.

 

A missão em Lábrea

Para preparar-se para estes 20 dias em Lábrea, no sudoeste da Amazônia, o casal participou de várias reuniões com a Coordenação de Voluntariado da Rede Marista e conheceu um pouco mais do local, população e formas de atuação na região que desenvolverão a sua primeira missão.

Nos 20 dias de trabalho, atuarão na Escola Estadual Santo Agostinho, em uma rádio local e na orientação de famílias das comunidades ribeirinhas.

Os 25 anos de docência, serão a base para o trabalho que Suzana pretende desenvolver com as crianças de Lábrea. Na bagagem muitas ideias para hora do conto e oficinas pedagógicas diversas, mas também, muita vontade de aprender com a cultura daquelas crianças, com vivências tão distintas das nossas, enfatiza Suzana.

A experiência como professor de História, membro do Conselho Municipal e Saúde e do Conselho Gestor da Casa de Saúde de Santa Maria, serão utilizados nas palestras sobre Cidadania que Milton ministrará junto com outros componentes do grupo de voluntários para as comunidades daquela região. “ Penso que terei a oportunidade de devolver para a sociedade um pouco do que recebi dela nestes anos de trabalho”, argumenta Milton. Juntos, o casal também trabalhará com orientação e apoio em ações realizadas para as famílias das comunidades atendidas.


Suzana foi professora da Educação Infantil no Colégio por 10 anos

Essa é a primeira experiência em grupo de voluntariado na Região Amazônica. Conforme a Coordenadora de Voluntariado da Rede Marista, Rosimar Almeida, a expectativa é oportunizar novas vivências de agora em diante. “O projeto visa favorecer a formação integral, de transformação pessoal e social, a partir de iniciativas que atendem crianças e adolescentes da Escola Estadual Santo Agostinho. Também tem como objetivo auxiliar na conscientização da comunidade sobre a importância da construção conjunta da educação e da cidadania”, explica.

Após este período de vivência e aprendizados, Suzana retornará ao Marista Santa Maria para partilhar com a equipe pedagógica e educadoras a sua experiência.

Desejamos à professora Suzana e ao professor Milton uma excelente missão e ficamos na torcida pelo êxito dos seus objetivos enquanto voluntários e leigos maristas.