PJM da escola participa de encontro na Colômbia

A Escola Marista Santa Marta teve o privilégio de ter um dos três representantes brasileiros no encontro que comemorou os 40 anos do Remar, a Pastoral Juvenil da Colômbia, que aconteceu entre os dias 12 e 16 de abril, em Ibagué, a 200 quilômetros de Bogotá, capital colombiana.
 
Animador da Pastoral Juvenil Marista (PJM) da escola, Gleen Eduards teve a oportunidade de trocar experiências e aprendizado em um evento marcado pela temática ‘Páscoa Jovem – Duc in Altum – navega a lo profundo!’. As atividades no encontro foram divididas por temáticas. Na quarta-feira, sob o tema ‘no porto’, os participantes recordaram sobre a Quaresma e o tempo de solidariedade. A atenção aos excluídos da sociedade por fatores sociais, culturais, políticos e econômicos foi um dos principais assuntos abordados.
 
Com a temática ‘navegar mar a dentro’, o segundo dia foi de vivência na quinta-feira santa junto à comunidade colombiana, além de levar os participantes a entenderem o contexto social, cultural e econômico vivido pelos jovens de hoje. Na sexta-feira, terceiro dia, com o tema ‘Jesus nosso grande timoneiro’, os participantes buscaram respostas por meio do auto reconhecimento, sendo questionados se teriam uma atitude de indiferença sobre a realidade que vivem e se fariam algo para mudá-la. Também foram convidados a refletir como Jesus pensava sobre o mundo.
 
No sábado, com o tema “no mar”, foi realizado uma experiência solidária de contato com as diferentes realidades. Divididos em comunidades, Gleen e sua comunidade visitou um asilo em Ibagué. 
 
“Foi lá (no asilo) que vivenciei uma das melhores situações do encontro. Uma jovem veio até mim e me convidou para sair do abrigo para procurar um armazém e comprar pilhas para um senhor que não conseguia ouvir seus jogos favoritos devido à falta de energia em seu rádio. Aquilo foi algo tão pequeno, mas tão gracioso aos olhos de Deus. As vivências com os demais idosos também me engrandeceram enquanto pessoa. Tive a oportunidade de aprender a conviver, escutar e ter paciência para ouvir as diversas histórias”, ressalta o Animador do Marista Santa Marta.
 
“O encontro fortaleceu a minha fé sobretudo nas pessoas, e fez eu acreditar ainda mais que estamos aqui para nos conectar uns com os outros, não importando sua religião, credo, crença, raça. Lá vivenciamos o verdadeiro sentido da Páscoa e nos relacionamos com pessoas que só tinham a nos ensinar. Nossos corações sempre estarão conectados, construindo, juntos, aquilo que Champangnat sonhou a 200 anos, uma sociedade justa e fraterna, mostrando que a civilização do amor não é tão utópica quanto imaginávamos ser”, completou Gleen.
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Comentários (0)

Entre na discussão.

captcha

Mensagens sem e-mail válido ou com expressões ofensivas serão excluídas.