Orientação educacional dá dicas para estudar melhor

Que tipo de estudante você é?
  • Estudante que frequenta as aulas, que absorve as informações de maneira passiva e coletiva e que estuda somente na véspera da prova.
  • Estudante com foco, disciplina, que interage e que estuda em casa, regularmente, de forma ativa! 
 
QUANDO ESTUDAR?
  • A fórmula para se tornar mais inteligente: Aula assistida hoje, precisa ser estudada hoje!
 
Por que? A aula serve para o estudante entender a matéria. Mas é com o estudo por conta própria que ele vai aprender o conteúdo. E aprender significa não esquecer mais, isto é, armazenar de forma permanente.
 
A neurociência comprova que o ciclo de aprendizado tem um prazo de 24 horas. Por isso, é essencial estudar a matéria no mesmo dia em que foi assistida a aula, antes que se passe uma noite de sono. Do contrário, a maioria do conteúdo será esquecida no dia seguinte.
 
Por que antes de dormir? Porque é durante o sono que o cérebro organiza a informação, descartando o que é inútil e inserindo na memória de longo prazo o que é importante.
 
  • Uma soneca de, no máximo, 15 minutos é permitida durante o dia.
  • Estudando na véspera da prova, você até pode tirar boas notas. No entanto, como o assunto fica armazenado na memória recente, você esquecerá tudo logo após o exame, ou seja, não aprende nada! Engana a si mesmo.
  • Obter um diploma universitário não significa ser um bom e competente profissional.
 
 
COMO ESTUDAR?
  • E como deve ser o estudo ativo? A melhor forma de estudar é escrevendo! Essa atividade aumenta as redes neurais, fixando melhor o conteúdo. Não adianta digitar no computador, tem que escrever com o lápis ou caneta no caderno.
 
Digitar grava na memória do computador. Escrever grava na memória do seu cérebro.
Ler um livro, ainda que grifando, continua sendo estudo passivo e não é suficiente. Escreva resumos e esquemas das partes mais importantes em uma folha de papel.
 
  • Também não resolve estudar mais, tem que estudar melhor. É uma questão de qualidade e não de quantidade.
  • Crie o hábito de estudar um pouco, mas todos os dias, e você terá tempo para desfrutar dos melhores prazeres da vida, além de aumentar a sua inteligência. É infinitas vezes melhor do que estudar muito, na hora errada (em cima da hora).
  • Escolha um ambiente tranquilo e confortável para o estudo.
  • E quanto a estudar ouvindo música? Pode, desde que seja música instrumental ou que você não entenda a língua da letra. Existe uma razão para isso. Se você compreender a letra, a parte lógica e racional do seu cérebro vai dividir a atenção com o conteúdo que está sendo estudado. Caso contrário, a música vai afetar uma parte diferente do cérebro, não havendo problema. Algumas pessoas gostam de estudar ouvindo música para isolar ruídos externos e aumentar a concentração.
 
QUANTO ESTUDAR?
  • O melhor ritmo é estudar durante meia hora de forma intensa, fazer 10 minutos de intervalo. Fazer intervalos aumenta bastante a eficiência nos estudos.
  • Durante os intervalos, o ideal é relaxar praticando uma atividade física (alongamento, caminhada curta) ou tocando algum instrumento musical.
  • Em hipótese alguma use equipamentos que tenham tela (TV, vídeo-game, computador, celular). Além de não descansar a mente, corre o risco de ultrapassar o tempo do break.
  • Como cada pessoa tem o seu próprio ritmo, a meia hora de estudo pode ser esticada para 40 ou 50 minutos (nunca mais do que isso!).
  • Por fim, para desenvolver a inteligência você deve exercitar o raciocínio e, sobretudo, ler muito. Só escreve bem quem lê muito e, só lê muito quem lê por prazer.
 
Inteligência se aprende! Ela pode ser desenvolvida!
 
(As dicas foram elaboradas pelo Serviço de Orientação Educacional a partir de palestras do Professor Pier)